Lipoaspiração Ricos

A lipoaspiração é uma intervenção plástica, e como toda intervenção similarmente apresenta alguns riscas, como hematomas, infecção e, até, poço de órgãos. No entanto, são problemas bastante raras que, frequentemente, não acontecem no momento em que a intervenção é feita em uma clínica de firmeza e com um clínico bamba.


Além disso, no momento em que se aspira pouca porção de gordura os riscas são também mais reduzidos, uma vez que a momento de começo de problemas amplifica no momento em que o tempo da intervenção é viaduto ou no momento em que se aspira muita gordura, como na região abdominal, por exemplo.


Em qualquer caso, para se evitar estas problemas, é sugerido realizar a lipoaspiração com um profissional bem aprendido e bamba, além de se realizar com todas as informações do médico após a intervenção. Veja quais os afazeres de pós operatório mais essenciais da lipoaspiração.


Hematomas


Os hematomas são uma das problemas mais comuns deste tipo de intervenção e caracterizam-se pelo começo de manchas roxas na pele. Ainda que sejam pouco estéticos, os hematomas não são graves e acontecem como uma resposta natural do corpo às lesões provocadas pela intervenção nas células de gordura.


Na maior parte dos casos, os hematomas começam a findar, naturalmente, cerca de 1 semana após a lipoaspiração, porém há alguns afazeres que auxiliam a agilizar a recuperação, como ingerir adaptar uma compressa quente, evitar atividades intensas e adaptar uma lorota com resultado anticoagulante, como Hirudoid ou lorota de Arnica, por exemplo. Veja mais afazeres essenciais.


Seroma


O seroma consiste no concentração de líquidos embaixo da pele, geralmente, nos locais no qual a gordura foi afastamento. Nestes casos, é possível sentir um inchaço na região e, dor e liberação de um líquido evidente pelas cicatrizes.


Para evitar o começo desta história deve-se usar a cinta indicada pelo médico após a intervenção, realizar sessões de drenagem linfática manual e evitar corporificar atividades físicas intensas ou pegar em itens com mais de 2 Kg, por exemplo.


Flacidez


Esta história é mais comum em indivíduos que removem uma grande porção de gordura, o que, geralmente, ocorre na região abdominal, flancos ou coxas, por exemplo. Nestas situações, a pele, que aparecia bastante esticada por causa de à figura de gordura em exagero, encontra-se mais flácida após a lipoaspiração e, dessa forma, pode ser preciso realizar outra intervenção para remover o exagero de pele.


Já nos casos mais leves, pode-se utilizar a mais tratamentos pouco invasivos, como a mesoterapia ou radiofrequência, para reintegrar a pele pouco flácida.


Alteração da receptividade


Ainda que seja mais raro, o começo de formigueiro na pele pode mostrar uma alteração da receptividade provocada por pequenas lesões nos nervos da região aspirada. Estas lesões acontecem por causa de à passagem da cânula por pequenos nervos mais superficiais.
Frequentemente, não é preciso qualquer tratamento exclusivo, sendo que o corpo regenera naturalmente os nervos, não obstante, há casos em que o formigueiro pode se preservar por mais de 1 ano.


Infecção


A infecção é um perigo que está presente em todos os tipos de intervenção, uma vez que, no momento em que há corte da pele, passa a interessar uma nova chegada para que vírus e bactérias consigam alcançar no interior do corpo. No momento em que isto ocorre, surgem sinais no local da gilvaz como inchaço, vermelhão intensa, dor, odor fétido e até a liberação de pus.


No entanto, as infecções são capazes de ser evitadas na grande maior parte dos casos, com o utilização dos antibióticos prescritos pelo médico e com os afazeres adequados à gilvaz na clínica ou em um posto de saúde. Veja como cuidar da gilvaz para evitar infecções.


Trombose


Esta é outra das problemas mais raras da lipoaspiração e ocorre no momento em que a indivíduo encontra-se vários dias deitada sem realizar pequenas caminhadas no quarto ou em casa. Isso ocorre visto que, sem o movimento do corpo, o sangue possui maior propensão para se associar nas pernas, o que favorece a formação de coágulos que são capazes de deter veias e provocar uma trombose venosa profunda.


Além disso, como nas primeiras 24 horas após a lipoaspiração é ilícito sair da cama, o médico similarmente pode regular injeções de heparina, que são um tipo de anticoagulante que auxilia a coarctar o perigo de formação de coágulos, mesmo que a indivíduo não possa andar. Não obstante, é sugerido andar dessa maneira que possível.


Caso surjam sinais de trombose ao longo a recuperação, como pernas inchadas, vermelhas e dolorosas, é bastante fundamental ir de imediato ao pronto-socorro para começar o tratamento apropriado e evitar problemas mais graves, como morte dos tecidos da perna, AVC ou infarto, por exemplo.

TODOS OS DETALHES SOBRE CIRURGIA PLÁSTICA DE LIPO,ACESSE NOSSO SITE


Poço de órgãos


A poço é a história mais dramático da lipoaspiração, porém similarmente é a mais rara. Ela ocorre, especialmente, no momento em que a intervenção é feita em clínicas não qualificadas, uma vez que é preciso que a lipoaspiração seja mal executada para que aconteça poço dos órgãos que estão por baixo da mão de gordura.
No entanto, no momento em que isto ocorre, há um viaduto perigo de morte, uma vez que pode ocorrer uma infecção dramático e, dessa forma, é preciso começar depressa outra intervenção para circunscrever-se o local perfurado.


Quem possui maior perigo de problemas


O perigo de problemas é maior em fumantes, doentes crônicos ou com o sistema imune despreparado. Dessa forma, esses pessoas precisam calcular bem a proveito e riscas de realizar a intervenção plástica.

Quem pode realizar lipoaspiração


Nos dias de hoje a lipoaspiração descrita como sendo a mais segura é a lipoaspiração tumescente, uma vez que utiliza uma anestesia local e a porção de gordura aspirada é respeitante a jovem, diminuindo o tempo de intervenção.

FONTE: http://www.ricardoplastica.com/